Ir direto para menu de acessibilidade.
Início do conteúdo da página

Disque Covid de Parauapebas orienta população sobre a doença

Acessos: 1161
imagem sem descrição.

Serviço esclarece exclusivamente sobre os sintomas e informa como as pessoas devem proceder em caso de suspeita. Até esta semana, mas de 1,2 mil ligações foram atendidas.

De um lado da linha do telefone, a população em busca de informações sobre como agir em caso de apresentação de sintomas característicos da Covid-19; do outro lado, profissionais capacitados para orientar o que é recomendado pelo Ministério da Saúde para cada caso.

Esse é o serviço feito pela equipe do Disque Covid, implantado pela Prefeitura de Parauapebas, por meio da Secretaria Municipal de Saúde (Semsa). A iniciativa tem ajudado a sociedade, mesmo em isolamento social, a ter todo o suporte necessário de informações para o enfrentamento à pandemia.

‘‘O Disque Covid é fundamental. Essa é uma doença nova, então a população tem muitas dúvidas. E aí que se fazem necessários esses telefones específicos para passar informações, e, ao mesmo tempo, evita que a pessoa tenha que ir até uma unidade de saúde. Na dúvida, ligue; a informação é uma arma poderosa na prevenção’’, orienta o secretário de Saúde, Gilberto Laranjeiras.

O Dique Covid do município funciona das 8 às 22 horas, sete dias por semana, e tem recebido um grande volume de ligações diariamente. As ligações, segundo Lívia Torres, coordenadora do serviço, são atendidas por profissionais da saúde com experiência e que acompanham as informações sobre o vírus.

O número do Disque Covid em Parauapebas é 031 98625-3239

Atenção: a Semsa reforça que esses números são exclusivos para dúvidas relacionados apenas ao novo coronavírus. Canais de comunicação para denúncias de demais assuntos são outros contatos.

Estatística e procedimentos

Entre os dias 20 de março e 27 deste mês, o Disque Covid de Parauapebas recebeu 1.246 ligações telefônicas, 155 ligações via aplicativo do whatsapp e mais 232 mensagens pelo aplicativo.

“Os sintomas que apresento são de Covid-19? Onde faço o teste?” As dúvidas mais frequentes que chegam serviço, segundo Lívia Torres, são para saber se os sintomas apresentados são da Covid-19 e onde são feitos os testes.

Quanto ao questionamento sobre sintomas, é orientado que em caso de sintoma gripal leve, sem confirmação de contato com caso confirmado ou suspeito de contágio por coronavírus, a pessoa deve ficar em casa por 14 dias.

Caso a pessoa apresente sintomas mais graves, como cansaço que dificulte a fala ou esse cansaço apareça ao fazer pequenas caminhadas dentro de casa, e ainda febre, unhas e lábios azulados, a orientação é para que a pessoa procure uma unidade de saúde mais próxima, usando máscara.

Na UBS, a pessoa passará por avaliação. Se não precisar de internação, será devidamente medicada e ficará em isolamento domiciliar com acompanhamento da equipe de Saúde da Família e do setor de Vigilância em Saúde.

Quanto ao questionamento sobre os testes, o governo municipal está priorizando-os para as pessoas classificadas com o quadro clínico grave.

Texto: Nívea Lima/Karine Gomes

Fim do conteúdo da página